Concurso TRF1 2017: Saiu o Edital para Níveis Médio e Superior!

Nesta quarta-feira, 6/9, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) publicou no Diário Oficial da União o edital do Concurso TRF1 2017. 

O certame, que é organizado pelo Cebraspe, destina-se ao provimento de vagas e formação de cadastro de reserva nos cargos de analista e técnico. 

Concurso TRF1 2017: Cargos e Vagas

As oportunidades foram abertas para os seguintes cargos/especialidades:

Nível superior: 

  • Analista Judiciário – Área Administrativa – CR
  • Analista Judiciário – Área Judiciária – 7 vagas + CR
  • Analista Judiciário – Área Apoio Especializado – Especialidade Informática – CR
  • Analista Judiciário – Área Apoio Especializado – Especialidade Taquigrafia – CR
  • Analista Judiciário – Área Apoio Especializado – Especialidade Oficial de Justiça Avaliador Federal – 2 vagas + CR

A remuneração inicial para esses cargos é de R$ 10.461,90.

Nível médio:

  • Técnico Judiciário – Área Administrativa – 5 vagas + CR 
  • Técnico Judiciário – Área Apoio Especializado – Especialidade Taquigrafia – CR
  • Técnico Judiciário – Área Administrativa – Especialidade Segurança e Transporte – 6 vagas + CR

Para esses cargos a remuneração inicial é de R$ 6.376,41. 

A jornada de trabalho no Tribunal Regional Federal da 1ª Região é de 40 horas semanais. 

O provimento dos cargos obedecerá à ordem de classificação específica dos candidatos habilitados, conforme a opção por cidade de classificação feita no momento de inscrição.

No Anexo 1 do edital, você confere a lista das cidades onde o TRF1 tem sede, assim como o número de vagas ofertadas para cada uma. Acesse:

 → Edital-TRF1 (a partir da pág. 45). 

Inscrições

Os candidatos deverão se inscrever exclusivamente pela internet, por meio do site do Cebraspe

O prazo para se inscrever começa às 10h do dia 13/9/2017 e termina às 18h do dia 3/10/2017 (horário de Brasília). 

A taxa de inscrições é de R$ 86 para nível superior e R$ 75 para nível médio. 

Importante:  no momento da inscrição, o candidato deverá optar pelo cargo/área/especialidade/cidade de classificação a que deseja concorrer. Uma vez efetuada a inscrição, não será permitida, em hipótese alguma, a sua alteração.

Provas

Para todos os cargos/especialidades serão aplicadas provas objetivas no valor de 120 pontos.  As questões serão compostas por itens de julgamento (CERTO OU ERRADO), sendo que cada questão errada anula uma certa. 

Serão reprovados nesta etapa os candidatos que se enquadrarem em pelo menos um dos itens abaixo:

a) obtiver nota inferior a 10,00 pontos na prova objetiva de conhecimentos básicos;
b) obtiver nota inferior a 21,00 pontos na prova objetiva de conhecimentos específicos;
c) obtiver nota inferior a 36,00 pontos no conjunto das provas objetivas.

Para os cargos de nível superior será aplicada, ainda, uma prova discursiva (redação) no valor de 40 pontos sobre um tema da atualidade.

Já os que tentam uma vaga de técnico ou analista, na Especialidade Taquigrafia, realizarão prova prática de apanhamento taquigráfico em data posterior.

Terceira etapa prevista também para os que disputam uma vaga de técnico, na Especialidade Segurança e Transporte. Eles deverão se preparar para a prova de aptidão física (TAF), que será aplicada posteriormente.  

Data/Período das Provas: 

A previsão é de que as provas objetivas e discursivas sejam aplicadas no dia 26/11/2017 para todos os cargos/especialidades. 

A duração será de 4 horas e 30 minutos para os cargos de nível superior e de 3 horas e 30 minutos para os cargos de nível médio. A diferença é devido à prova discursiva, que será aplicada somente para os cargos de nível superior. 

Os candidatos deverão comparecer nos seguintes turnos:

  • Analista Judiciário: MANHÃ
  • Técnico Judiciário: TARDE 

As provas serão aplicadas nas seguintes cidades:

  • Belém/PA
  • Belo Horizonte/MG
  • Boa Vista/RR
  • Brasília/DF
  • Cuiabá/MT
  • Goiânia/GO
  • Macapá/AP
  • Manaus/AM
  • Palmas/TO
  • Porto Velho/RO
  • Rio Branco/AC
  • Salvador/BA
  • São Luís/MA
  • Teresina/PI

É importante dizer que o candidato somente realizará as provas na capital correspondente à cidade de classificação escolhida no momento da inscrição.

Curso Online para Concurso TRF1 2017 (Campeão de Aprovações) 

Ser servidor público no maior tribunal do país é o sonho de muita gente. 

Se você tem esse objetivo e está focado nisso, tenho certeza que vai chegar lá. 

Eu já fui aprovado em um concurso TRF e sei que, com disciplina e dedicação, você também vai conseguir a sua aprovação.

Uma das minhas dicas para essa reta final de estudos é buscar um curso do Estratégia Concursos que seja totalmente focado no edital. Eu fiz isso quando estava estudando para o TRF2 e achei que me ajudou muito.

O material era objetivo e didático, então consegui revisar mais rapidamente a teoria e partir logo para a prática. No fim de cada tópico havia uma série de questões para resolver, inclusive comentadas, então foi ótimo para fixar o conteúdo. 

Bom, para o Concurso TRF1 2017 o Estratégia lançou cursos completos e também por matéria. Clique no link abaixo e confira as opções disponíveis:

Curso Online em PDF + Vídeo Aulas – 100% Atualizados e Focados no Edital – Teoria + Questões Comentadas – Satisfação Garantida ou seu Dinheiro de Volta

Edital Concurso TRF1 2017

→ Acesse o edital na íntegra: Concurso TRF1 2017

Leia também: 

Concurso TRF1 2017: Saiu o Edital para Níveis Médio e Superior!
4.8 (96.67%) 6 votes

8 Comentários


  1. Podia rolar uma enquete do local para o qual cada um concorrerá à vaga e para o respectivo cargo! 🙂

    Responder

    1. Olá Rafael, tudo tranquilo por aí?

      Eu pretendia fazer a enquete para o TRF 1, mas devido ao número de cidades ficou inviável. Teria que colocar cerca de 96 respostas em alguns casos.

      De qualquer forma, agradeço pela sugestão!

      Forte abraço,

      Guilherme Machado

      Responder

  2. Olá, Guilherme. Meu nome é Thiago Leitão e gostaria q me ajudasses em relação a esse concurso do TRF. Notei algumas inconsistências no conteúdo programático e enviei um email pra banca, mas não sei se terei reposta. Acho q isso pode ser prejudicial aos canditatos. Comentei isso no site da Folha Dirigida, porém, não sei por qual razão, meu comentário parece não ter sido aprovado. Segue parte do email enviado pra banca:

    Responder

  3. No item: 4 Intervenção de terceiros. 4.1 Oposição, nomeação à autoria, denunciação à lide e chamamento ao processo.
    De acordo com o novo Código, o instituto da Oposição não é mais uma modalidade de intervenção de terceiro, configurando um procedimento especial, enquanto a nomeação à autoria foi extinta pela nova legislação. No mais, uma nova modalidade foi incluída, o incidente de desconsideração da personalidade jurídica, não abarcado pelo edital.
    No item item: 10 Processo e procedimento. 10.1 Procedimentos ordinário e sumário. 11 Procedimento ordinário.
    Não existe mais a divisão em procedimento ordinário e sumário, agora existe apenas o comum.
    No item: 12 Resposta do réu. 12.1 Contestação, exceções e reconvenção.
    No novo código, não há mais que se falar em exceções como resposta do réu.

    Responder

  4. Tive q enviar separado pra poder publicar.

    Esses foram os pontos notados por mim, mas possivelmente há mais. Isso leva o candidato a pensar que a banca não se preocupou em atualizar o conteúdo programático, que houve certa desídia por parte dos elaboradores.

    Responder

    1. Olá Thiago, tudo bem?

      Infelizmente é comum esse tipo de confusão com conteúdo desatualizado nos editais. Eu mesmo já passei por isso em vários concursos que prestei.

      É que a banca apenas pega os editais anteriores e faz algumas mudanças. Aí acaba acontecendo isso! Muita coisa passa batido..

      O fato é que a vida de concurseiro já não é fácil e algumas bancas ainda fazem de tudo para torná-la ainda mais difícil.

      Caso cobrem esses conteúdos desatualizados na hora da prova, a única solução é entrar com recurso.

      No seu caso eu entraria em contato diretamente com a banca, e isso você já fez. Agora é esperar uma resposta e quem sabe um retificação.

      Abraço!

      Guilherme Machado
      Autor do Blog QPC

      Responder

      1. Beleza! Já retificaram. Não fiquei muito satisfeito pq não colocaram o estatuto da pessoa com deficiência nos conhecimentos básicos, mas menos mal agora.

        Responder

Comente este artigo!