Como Manter a Calma em Concursos Públicos [Entrevista com Psicóloga]

Você estuda para concursos públicos e tem dificuldades para manter o controle emocional durante a preparação? Não consegue manter a calma antes, durante, e depois da prova? Está com com problemas para controlar a ansiedade?

Saiba que você não está sozinho!

Todo concurseiro passa por isso, mesmo os mais experientes, já que a rotina de estudos é extremamente desgastante, tanto do ponto de vista físico quanto emocional.

A dura rotina de um concurseiro

como manter a calma em concursos

O fato é que, ao decidir estudar para concursos, você passará meses ou anos enfrentando algumas destas situações:

  • Pressão para passar (do próprio concurseiro e de amigos e familiares);
  • Abdicação dos momentos de descanso e lazer;
  • Dificuldade para conciliar os estudos com relacionamentos;
  • Sensação de isolamento e solidão;
  • Frustração com reprovações;
  • Falta de autoconfiança;
  • Medo de não passar;
  • Ansiedade antes, durante e depois da prova.

Por isso, para não perder o controle emocional, é preciso que você aprenda como manter a calma em concursos públicos.

Como manter a calma em concursos públicos

como manter a calma em concursos públicos

Para te ajudar a amenizar esses problemas, o blog QPC convidou a psicóloga Alexandra Paiva (CRP 04/25338) para uma entrevista, em que essas e outras dificuldades foram abordadas e as soluções propostas.

Confira a entrevista e sinta-se à vontade para deixar suas dúvidas nos comentários.

Entrevista – Psicóloga Alexandra Paiva

1 – Como lidar com a pressão para passar? (pressão do próprio concurseiro, dos familiares, do marido etc…)

Lidar com a pressão não é fácil. A busca por um futuro melhor, mais tranqüilo, com mais possibilidades, pode ter um preço muito alto.

Quem nunca se deparou com perguntas como:

  • Até quando vai ficar parado só estudando?
  • E o emprego, não dá pra conciliar?
  • Tem certeza que é isso que você quer?
  • E se você não passar?

Alem do próprio concurseiro, ainda existem os familiares, parceiros e amigos quando o assunto é pressionar.

Mas só quem vive uma situação consegue ter a real dimensão dos sentimentos envolvidos nela.

Portanto, é impossível esperar que outras pessoas compreendam seu momento da mesma forma que você.

Como solução para amenizar a pressão, proponho uma conversa franca, colocando-os por dentro das dificuldades e benefícios que se pode alcançar com a aprovação, para torná-los companheiros de jornada.

Você entenderá também que as pressões nem sempre ocorrem intencionalmente.

2 – Qual a importância de valorizar e comemorar pequenas vitórias? 

É por meio das pequenas vitórias que atingimos as grandes. É como diz o velho ditado: “De grão em grão a galinha enche o papo.”

São aquelas pequenas conquistas que nos motivam no dia a dia como: terminar uma revisão, treinar simulados, finalizar uma parte do edital, assistir uma vídeo aula.

Quando passamos a encarar isso como pequenas vitórias, criamos novas formas motivacionais dentro de nós. Percebemos com mais clareza nosso progresso, nossa evolução.

Alguns concurseiros gostam de prestar provas para concursos de níveis abaixo do pretendido.

Esta também pode ser uma forma de mentalizar uma escada rumo ao sucesso, em que cada degrau simbolizaria uma pequena vitória.

3 –  Na sua opinião, é um erro abdicar totalmente do descanso e lazer durante a fase de estudos para concursos? 

Demoramos para adquirir um habito de estudos , mas para sair dele basta um piscar de olhos.

No entanto, não é critério de aprovação a quantidade de horas que você se dedicou para estudar o edital.

O importante não é a quantidade de estudo, mas a qualidade.  

Apostilas, vídeo aulas, cursos presenciais, parecem sugar toda nossa energia, mas de nada adianta fazê-los sem qualidade.

O descanso faz parte das necessidades básicas do ser humano. Uma noite de sono bem dormida é tão importante quanto uma parte do edital bem absorvida.

É também, durante o sono, que o nosso cérebro fixa as informações estudadas ao longo do dia. Portanto, dormir é fundamental.

Atividades físicas e momentos de lazer podem ser também bons aliados para ajudar o corpo e a mente na jornada do concurseiro.

Dessa forma, abdicar totalmente disso é abdicar de parte da sua saúde.

4 – Estudar para concursos exige sacrifícios. Em muitos casos, são anos e anos estudando e abrindo mão de alguma coisa. Por que é importante entender que essa  fase é temporária? E como lidar melhor com essa rotina sacrificante?  

Em momentos festivos como o carvanal é comum bater aquela frustração de não estar na mesma “vibe” de folia que os amigos.

Mas vale ressaltar que não é necessário deixar de lado todos os programas sociais e festas.

Contudo, cada ação sua é que vai te deixar mais próximo ou não do seu objetivo. Cada caso é um caso e este julgamento só você é capaz de fazer.

Algumas perguntas e dicas podem orientá-lo nesta tomada de decisão:

  • O seu rendimentos nos estudos está evoluindo?
  • A data da sua prova já foi marcada? Está próxima?
  • Vale a pena abdicar desse momento agora para aproveitá-lo depois?

Se a resposta for sim, pense com mais cuidado, talvez não seja uma boa hora de sair do seu planejamento.

Pense que esses eventos festivos se repetem todo ano. E será que você vai aproveitar esses eventos carregando a culpa de não estar estudando? 

Caso resolva aproveitar um pouco da folia, lembre-se que se sair de madrugada e dormir tarde, no dia seguinte de estudos estará comprometido, principalmente se ingerir bebida alcoólica.

Reflita de forma real e coerente. Organize seus dias e horários e aproveite da melhor forma o tempo dedicado para cada atividade: estudo e cair na folia.

5 – Por que a reprovação não é sinônimo de fracasso?

Quem já passou por isso, creio que a maioria, sabe como é conferir um gabarito e ficar longe da nota de corte, ou até mesmo muito próximo dela e ver meses ou anos de dedicação indo por água abaixo.

Mas será que a reprovação é um sinônimo de fracasso? Será mesmo que esta dedicação foi por água abaixo? E pra onde vai todo o conteúdo aprendido? Os exercícios resolvidos? As vídeo aulas concluídas?

O conhecimento é o único bem que adquirimos que ninguém pode nos tomar. Ele é seu e esta dentro de você.

Assim como quem aprende a andar de bicicleta, leva tombos. Só enfrenta turbulências quem já começou a voar.

Tenha a consciência de que a reprovação é parte do caminho.

6 – Como o concurseiro pode se tornar mais autoconfiante? 

Por trás de um concurseiro aprovado geralmente há uma historia de vida incrível, com relatos de superação e inspiração. Ouvir e ter contato com estas pessoas pode ser de grande valia neste momento.

Propostas mais práticas como: resolver provas anteriores, separar horários para os exercícios, estudar o edital de forma detalhada, ainda que as apostilas pareçam mais sedutoras,  e conhecer as especificidades da banca avaliadora, são outras formas de ganhar mais autoconfiança e ir para a prova com mais segurança e motivação.

7 – Os concurseiros que namoram ou são casados precisam conciliar a intensa rotina de estudos com o relacionamento. Para que isso dê certo, o que precisa existir entre o casal? 

Perder um casamento, um relacionamento sério ou levá-lo de qualquer jeito ao priorizar um concurso, não me parece algo muito inteligente.

Com um pouco de organização, respeito e paciência é possível conciliar tudo de forma bem harmônica.

Quando uma pessoa resolve prestar um concurso está geralmente atrás de uma realização pessoal, de estabilidade e melhores remunerações.

Ou seja, o concurseiro não estuda somente em beneficio próprio, mas leva em consideração um futuro mais tranqüilo também para as pessoas com que se relaciona.

Se partirmos deste princípio, toda a dedicação ao concurso passa a ser um objetivo do casal, criando um sentimento de equipe, de aliança, fundamentais no relacionamento e no estudo.

8 – Qual a importância de uma rede de apoio durante a jornada de estudos do concurseiro? 

Ter uma rede de apoio torna tudo mais leve.

Participar de grupos nas redes sociais com outros concurseiros proporciona a troca de informações, dicas importantes, um apoio de alguém que vive exatamente a sua experiência e seus problemas pode alem de apoiar, confortar bastante.

Além disso, professores de cursinhos preparatórios e blogs informativos também podem ser boas fontes para sanar dúvidas.

Esta jornada que já é tão sacrificante não precisa ser tão solitária.

9 – Como manter a calma e diminuir o nervosismo e a ansiedade no dia da prova? 

“Deu Branco”! Essa é uma expressão muito comum entre os concurseiros.

Acontece quando a pessoa tem o domínio do conteúdo, mas devido a um nervosismo extremo, não consegue acessar as informações.

Uma dica neste caso é tentar pensar assuntos paralelos que estão ligados àquela questão. Seu cérebro pode acabar conseguindo se conectar a informação certa novamente.

E se eu não souber a resposta de uma pergunta? Muitas vezes o conteúdo do edital é muito vasto e o candidato não consegue absorver tudo da forma como idealizou.

Se você não souber responder uma questão, passe para a próxima.  Ficar preso em uma pergunta te faz perder a autoconfiança e gera mais estresse, atrapalhando nosso raciocínio básico, aquele que nos ajuda a fazer analogias simples.

Alguns exercícios de respiração também ajudam. Quando estamos ansiosos em situação de perigo, respiramos mais rápido porque o cérebro entende que estamos numa urgência.

Portanto, procure acalmar a respiração, expirando o ar de forma mais pausada, num ritmo mais lento.

Isso acalma nosso corpo, ajudando diretamente nosso raciocínio.

Ficou alguma dúvida? Quer fazer uma pergunta? Deixe um comentário!

Como Manter a Calma em Concursos Públicos [Entrevista com Psicóloga]
4.4 (88.89%) 9 votes

6 Comentários


  1. Gostei da matéria. A dica da respiração é ótima, usei no meu concurso e ajudou muito. A última etapa era prova aberta ( muito stress!).

    Responder

    1. Olá Josefina, tudo certo por aí? Espero que sim! 🙂

      Que bom que gostou da matéria! Agradeço pelo retorno.

      E a dica da respiração realmente funciona.

      E eu já fiz prova aberta e sem bem como é..loucura total! Rs..

      Abraço!

      Guilherme Machado

      Responder

    1. Olá Livia! Beleza?

      Valeu pelo retorno! Fico feliz de saber que gostou.

      Continue nos acompanhando!

      Abraço,

      Guilherme Machado

      Responder

  2. Gostei bastante do texto, leitura agradável, bem claro, dicas importantíssimas.

    Responder

Comente este artigo!